Eleições 2018 - Internas

Notícias

Em desfile, blocos caricatos levam beleza, música e conhecimento para a Avenida Afonso Pena

Por Redação/Com informações da PBH, 13/02/2018 às 09:21

Texto:

Ouça na Íntegra
00:00 00:00

Com cerca de duas horas de atraso, começou por volta das 21h desta segunda-feira o desfile dos 11 blocos caricatos de Belo Horizonte na Avenida Afonso Pena, no Centro.

A previsão é de cerca de 10 mil pessoas no local. Os blocos disputarão os prêmios de R$ 25 mil (1º lugar), R$ 12,5 mil (2º lugar) e R$ 6,250 mil (3º lugar).

A história dos blocos caricatos se confunde com a do Carnaval de Belo Horizonte. Nascidos ainda na primeira metade do século passado, eles teriam origem nos grupos de trabalhadores que se reuniam com os rostos pintados, batendo latas e tambores em cima de carroças.

Mais tarde, os blocos se tornaram personagens centrais da folia, na década de 1960, quando mais de 40 deles desfilavam no Carnaval da cidade. Com o tempo, entretanto, foram perdendo popularidade e apoio do poder público e praticamente caíram no ostracismo na década de 1990, quando os desfiles foram cancelados.

Em 2018, os blocos caricatos desfilarão tentando provar que a retomada do Carnaval de Belo Horizonte não se restringe aos blocos de rua. Seis deles foram fundados a partir de 2008. Também haverá um estreante na avenida, o que comprova um movimento de resgate da tradição dos blocos caricatos.

A estrutura montada para os desfiles dos blocos caricatos e das escolas de samba, na Avenida Afonso Pena, recebeu um cuidado especial neste Carnaval. Entre as novidades estão a pintura do asfalto na cor branca, que valoriza as fantasias e adereços, a instalação de um cronômetro visível na avenida, melhorias na estrutura de som e na iluminação do espaço e arquibancadas com mais conforto.

Ordem dos desfiles do Grupo Especial

Unidos da Zona Norte
Corsários do Samba
Estivadores do Havaí
Infiltrados de Santa Tereza
Bacharéis do Samba
Por Acaso
Invasores do Santo Antônio
Mulatos do Samba
Inocentes de Santa Tereza
Vila Estrela

Grupo De Avaliação - Estreante no Carnaval

Real Grandeza

- Conheça os blocos caricatos e seus sambas neste ano:

Unidos da Zona Norte (UZN)

Responsável por abrir o desfile, o UZN foi fundado em 2015 e faz neste ano sua segunda participação no Grupo Especial. De vermelho e branco, o bloco pretende celebrar as antigas brincadeiras de criança. Nesse espírito, os cerca de 90 integrantes prometem relembrar na avenida a bola de gude, o bambolê e o carrinho de rolimã, ao som do samba tema de Janjão e Mandruvá.

Lembrança das Antigas Brincadeiras de Criança
(Janjão/ Mandruvá)

Entra nessa roda
Vamos cirandá
Eu quero vê a passarela balançar

Vê se lembra sinhô
Vê se lembra sinhá
O Carnaval que a Zona Norte
Vem mostrar

Ainda guardo na minha lembrança
As brincadeiras que papai nos ensinou
No palco da vida já rodei pião
O futebol que sempre foi minha paixão
Até o céu nesse chão vamos marcar
Sou criança, amarelinha quero pular

Corrida de saco, passa anel
Bola de gude, bambolê
Pêra, uva ou maçã,
Vem passear no meu carrinho de rolimã

Corsários do Samba

Fundado em 1962, tradição é o que não falta ao Corsários do Samba: é o bloco mais antigo entre todos os que participarão do Carnaval de Belo Horizonte. Com cerca de 100 integrantes, o bloco se mantém fiel às origens e vai para a avenida sem divisão em alas, celebrando a folia através do tema “A Beleza do Carnaval”. Embalado pelo samba de Guilherme Mocidade, um dos destaques do desfile deve ser a participação da Corte Momesca.

A Beleza do Carnaval
(Guilherme Mocidade)

Diretamente do bairro Floresta
Com o peito em festa e o coração a gargalhar
A beleza do Carnaval
Na passarela alegremente vou mostrar

Olha a bruxa e o arlequim
Cigana, odalisca e pierrot
Palhaço e marinheiro
Nesse turbilhão de esplendor (bis)

A mulata sambando, o confete caindo
O couro comendo e o povo aplaudindo (bis)

Meu bloco vem fazendo a festa
Encantando a multidão
Bailarina, índio, havaiana
Vem cantar comigo este refrão

É Carnaval, estou nos braços do povo
Com meu corsário desfilando aí de novo
A festa é nossa, vamos brincar
A noite inteira até o dia clarear (bis)

Estivadores do Havaí

“Ilusionismo, magia ou feitiço?” é a pergunta que o Bloco Caricato Estivadores do Havaí, fundado em 1984, fará para o folião neste Carnaval. Abordando quatro mil anos de espetáculos de mágica, o bloco vai para a avenida com 160 integrantes e cinco alegorias móveis e promete confundir e intrigar o público com um desfile repleto de truques de mágica.  

Ilusionismo, Magia ou Feitiço?
(Juólison Luiz)

Tem história tem magia
Nessa estrada que é real
Infiltrados contagia ao chegar no Carnaval
Quem te conhece não esquece jamais
Terra de riqueza, oh Minas Gerais

Nas terras de Minas encontram
Tanta riqueza que o mundo encontrou
Negros foram feitos de operários
Em suas costas tanto ouro carregou

Tudo começou em Ouro Preto
Em Diamantina também passou
Mariana, Itabira, Sabará
Em Paraty o ouro chegou

A alegria de ver nossa riqueza brotar
Abram alas que os infiltrados vão passar
Nessa estrada real agora cantar
Nesta cidade tudo é festa e carnaval

Aleijadinho que bom ter você
Nessa história pro mundo vê
José Joaquim da Silva Xavier
Tiradentes é o que é

Infiltrados de Santa Tereza

Fundado em 2009, por moradores da Vila Dias, no bairro Santa Tereza, o bloco Infiltrados de Santa Tereza exaltará a história da Estrada Real no Carnaval de 2018. Com música e letra de Gugu de Souza, o samba enredo fala dos caminhos do interior pelos quais a estrada passava, cortando todo o estado de Minas Gerais. O bloco promete levar cerca de 90 integrantes para a avenida.

Estrada Real
(Gugu de Souza)

Tem história tem magia
Nessa estrada que é real
Infiltrados contagia ao chegar no Carnaval
Quem te conhece não esquece jamais
Terra de riqueza, oh Minas Gerais

Nas terras de Minas encontram
Tanta riqueza que o mundo encontrou
Negros foram feitos de operários
Em suas costas tanto ouro carregou

Tudo começou em Ouro Preto
Em Diamantina também passou
Mariana, Itabira, Sabará
Em Paraty o ouro chegou

A alegria de ver nossa riqueza brotar
Abram alas que os Infiltrados vão passar
Nessa Estrada Real agora cantar
Nesta cidade tudo é festa e Carnaval

Aleijadinho que bom ter você
Nessa história pro mundo vê
José Joaquim da Silva Xavier
Tiradentes é o que é

Bacharéis do Samba

Fundado em 1º de dezembro de 1965, o bloco é composto por integrantes dos bairros São Pedro, Morro do Papagaio, Vila Estrela e Vila Santa Rita e já conquistou o título de campeão do Carnaval em 2007 e 2008. Em 2018, o Bacharéis vai para a avenida com o tema “Pintando o Sete”, abordando a simbologia da expressão, além de outras curiosidades sobre o número sete. Com 160 integrantes, divididos em  quatro alas, o bloco promete fazer um desfile alegre e bem humorado, ao som do samba de Guilherme Mocidade.

Pintando o Sete
(Guilherme Mocidade)

Vamos colorir nossa folia
Contagiando corações
Pintores e suas paletas
Sambando com sete anões
O cavaquinho dá o tom da alegria
E a bateria, arrepia que legal
Vem comigo nessa festa
Vamos lá, a hora é essa

Dias da semana, notas musicais
Cores do arco-íris, pecados capitais
De amarelo e preto, vou desfilar
E o sete na avenida exaltar (bis)

Palhaços no camarim
Retocando a maquiagem
Todo povo a aplaudir
Hoje tem sessão de traquinagem
Por favor, não me leve a mal
Vou fazer estripulia neste carnaval (bis)

Meu Bacharéis querido

Pisa forte na passarela
Vem pintando o setembro
Em forma de uma linda aquarela (bis)

Por Acaso

Criado em 2008, o bloco vai homenagear a Pampulha, cujo conjunto arquitetônico recebeu, no ano passado, o título de Patrimônio Cultural da Humanidade. Os 180 integrantes entrarão na avenida vestindo fantasias de pescadores, turistas, ciclistas, jogadores, entre outras. Haverá, ainda, uma homenagem a Iemanjá. O samba do bloco Por Acaso, que foi campeão em 2010 e 2013, é de autoria de Wanderley Moreira, Marcos Valente e Everton do Cavaco.

Neste Carnaval o Por Acaso Apresenta a Pampulha Patrimônio Mundial
(Wanderley Moreira, Marcos Valente e Everton do Cavaco)

Explode a emoção ôôôô
O Por Acaso anunciou: é Carnaval
Eu sou Pampulha, patrimônio da cultura mundial (BIS)

Otacílio Negrão de Lima seu idealizador
Construída por Juscelino Kubitschek, e com teus traços Niemeyer eternizou
Ó pescador está em festa o gigante, no clássico tradicional
De emoção eu vou correndo, na Volta Internacional

Janaína êêêê eis teu novo mar ááá
Para ti jardins, salve a Rainha Mãe Iemanjá (BIS)

Famílias e familiares no domingo vêm pra ver os animais
Por tuas ruas a modernidade vê manhãs inigualáveis
Cria tardes imortais, passando vou pra Casa do Baile nos
Festejos da virada da nossa BH
Pampulha… Tens na fé o teu tesouro
Portinari com teus pincéis de ouro louva São Francisco de Assis
Na maior roda gigante quero estar
Chegou a hora o Por Acaso vai passar…

Invasores do Santo Antônio

“Rua da Bahia, a porta da cidade, em cada esquina uma saudade” é o enredo proposto pelo Invasores do Santo Antônio. O bloco vai falar de bares famosos, de personalidades que têm a história ligada à rua e de locais que estão intimamente ligados à história de Belo Horizonte, como o Edifício Maletta e o Minas Tênis Clube. Ao som do samba composto por Murilo José dos Santos, o bloco deve levar cerca de 80 integrantes à avenida.

Rua da Bahia, a porta da cidade, em cada esquina uma saudade
(Murilo José dos Santos)

Com a cara e a coragem
Agora é pra valer
Os Invasores faz a festa
E o convidado é você

Tem cheiro de festa no ar
A passarela é o nosso salão
Só quero sorrir, só quero brincar
Na rua do meu coração

A vida é esta meu amor…
A vida é esta (BIS)
Subir Bahia e depois descer Floresta

Tô cansado vou de bonde
No Maletta vou passar,
Minas Tênis, Izabela,
Meu amor estuda lá,
Como era bom iá-iá, como era bom…
Chope gelado, Bar do Ponto e Trianon

Me abraça, me beija
Me leva pra lá (BIS)
É na Rua da Bahia
Que as águas vão rolar

Mulatos do Samba

Fundado em 2008, o Mulatos do Samba é o atual campeão do Carnaval de Belo Horizonte. Para defender o título, o bloco aposta em um enredo que alerta para a necessidade de preservação da Amazônia, denunciando o desmatamento ilegal, as queimadas e o tráfico de animais. Os 170 integrantes participarão do desfile divididos em  cinco alas, ao som do samba composto por Betô.

Amazônia Perfeita Criação Pulmão do Mundo Tesouro da Terra Se Não Cuidar Essa Riqueza Vai Embora
(Betô)

Amazônia, pulmão do mundo
Oh tesouro da Terra
O leito do rio, a fauna e a flora
Se não cuidar essa riqueza vai embora (2x)

Ó formosa é a floresta soberana desse chão
Raízes profundas, paraíso verde da imensidão
O índio verdadeiro dono da floresta
Emite um alerta de preservação

Sente a reação da natureza que responde com tristeza
Aquecimento global, a chuva que cai forte
A fonte da vida que sofre
O homem causa a dor da sua morte
Sangue na mata é derramado, solo queimado
E a lei do machado

Salve a mãe natureza antes que o mal aconteça
E não tenha mais solução
Tupã guardião das matas
Estende as mãos e pede com razão
Que cuidem do verde sem ganância
E parem com a destruição

Que te quero verde, Mulatos do Samba
Cantem com emoção
Seu intenso verde, Amazônia é a perfeita criação (2x)
Amazônia…

Inocentes de Santa Tereza

O bloco, que participa do Carnaval de Belo Horizonte desde 1973, vai levar 160 integrantes divididos em cinco alas. O enredo proposto é uma homenagem ao seriado ‘Chaves’ e ao protagonista: “Criança gulosa demais, transmite tanta alegria e no outro dia quero mais”, como explica o samba composto por Gugu de Souza.

Chaves
(Gugu de Souza)

Que maravilha um programa de TV
Turma do Chaves alegria para você
É o Inocentes feliz com raça e tradição
Que vem falando dessa turma com emoção (2xBIS)

E a Chiquinha invejosa pra danar

Quico exibido que chora sem parar
Olha a bruxa aí que ta nervosa demais e não consegue conquistar o seu rapaz
Com os Inocentes feliz o meu sonho se satisfaz
Na minha TV turma do Chaves quero mais
Dona Florinda

A Dona Florinda convidou pra um café o seu amor
Professor linguiça aceitou
E o seu buquê ele entregou... Dona Florinda (2xBIS)

E o a toa não quer trabalhar, o Seu Madruga o aluguel não vai pagar
O Seu Barriga não desiste de cobrar, quatorze meses ele espera sem cansar

O Chaves criança gulosa demais
Transmite tanta alegria
E no outro dia quero mais (2xBIS)

Acadêmicos de Vila Estrela

Fundado em 2011, o bloco do Aglomerado Santa Lúcia, que foi campeão em 2014, levanta o estandarte da causa feminista neste Carnaval. Serão homenageadas cinco mulheres que, ao longo da história do Brasil, lutaram por seus ideais: Dandara, Chica da Silva, Tia Ciata, Bertha Lutz e Maria Bonita. Os cerca de 200 integrantes vão agitar a Afonso Pena ao som do samba enredo “Mulher brasileira: heroína nacional”, de Vavá Maia, Julio Braga, Klarck Almeida e Toninho Gentil.

Mulher brasileira: heroína nacional
(Vavá Maia, Julio Braga, Klarck Almeida e Toninho Gentil)

Hoje
Vou com meu bloco pra avenida
Exaltar a quem dá vida
Abraçar a flor mulher
Deusa da beleza universal
Na meiguice na bravura
Heroína nacional

Mulher ô mulher
Tu és a arte, és a luz do criador
És a força mais vibrante
A pureza do amor

Chica da Silva
Companheira do contratador Dandara, guerreira
Que à escravidão não se curvou
Tia Ciata, baiana da festança e do tambor
Na Praça Onze onde o samba começou
Bertha Lutz, grande feminista que lutou
Pelo voto e a igualdade da mulher
O seu sonho conquistou
No sertão a musa destemida do Nordeste
Maria Bonita deu o seu amor a Lampião

Vai Vila Estrela
Vermelho e branco
Arrastando a multidão
Com as mulheres na avenida
Fazendo a revolução

Real Grandeza

O Bloco Real Grandeza é estreante no Carnaval. Por estar no Grupo de Avaliação desfila por último e sem patrocínio, mas com muita alegria. O enredo faz uma crítica à situação atual do país, mesclada com a magia do palhaço de circo, em busca da leveza dos antigos carnavais. O bloco deve levar cerca de 70 integrantes à avenida.

Na brincadeira e na alegria somos palhaços
(Ubiratan dos Santos Custódio)

Vem cair no samba, vem sambar
Se divertir, extravasar
Real Grandeza no maior astral
Somos todos palhaços nesse carnaval (bis)

Vamos homenagear dois grandes artistas
De azul, vermelho e branco na avenida vou desfilar
Das suas gravações tem o sapo Jururu,
E os escravos de Jó e o samba Lelê

Alô criançada o circo chegou ôô
E o palhaço que é... É ladrão de mulher
Ôôôô na brincadeira e na alegria
Ôôôô o palhaço Bozo e o palhaço Carequinha (bis)

Somos todos palhaços na arte, saúde e educação
De azul, vermelho e branco alegra o meu coração.

Real emoção até o fim eu quero ver
Aplaudir do Oiapoque ao Chuí.

Escreva seu comentário

Preencha seus wdados

ou

    #ItatiaiaNasRedes

    RadioItatiaia

    ⏱COMEÇOU! Bola rolando no Engenhão para @FluminenseFC x @atletico

    Acessar Link

    RadioItatiaia

    O deputado Eduardo Bolsonaro disse que basta "um soldado e um cabo" para fechar o Supremo Tribunal Federal (STF)

    Acessar Link

    RadioItatiaia

    A manifestação foi atrasada em 1h devido a um evento da prefeitura. Participantes saíram da Praça da Liberdade e foram para a da Savassi.

    Acessar Link