Notícias

Itália tem 34.767 casos e 692 mortes em 24h; 19 regiões tem saturação de leitos

Maior sindicato de médicos hospitalares alertou neste sábado sobre aumento de internações

Por Ansa, 21/11/2020 às 13:46
atualizado em: 21/11/2020 às 13:49

Texto:

Foto: Anpas
Anpas

A Itália registrou neste sábado (21) mais 34.767 novos casos e 692 mortes na pandemia do coronavírus Sars-CoV-2, elevando os números totais de contágios e óbitos para 1.380.531 e 49.261, respectivamente. 

O maior sindicato de médicos hospitalares da Itália alertou neste sábado (21) que os leitos de emergência em enfermarias de internação hospitalar estão saturados em 19 regiões do país devido à explosão no número de casos do coronavírus Sars-CoV-2.

Segundo a Associação dos Médicos e Dirigentes Sanitários da Itália (Anaao-Assomed), o território italiano vive um "quadro dramático" levando em consideração uma comparação no número dos leitos em 2018 e os ativados em 2020 com as internações de pacientes infectados com o vírus.

De acordo com os dados, as regiões mais afetadas são: Piemonte (191% de saturação); Vale de Aosta (229%); Lombardia (129%); Ligúria (118%); Lazio (91%); Campânia (87%); Província Autônoma de Bolzano (129%); Província Autônoma de Trento (82%); Abruzzo (77%); Sicília (73%), Puglia (71%); Emilia-Romagna (66%), Toscana (66%), Vêneto (64%) , Úmbria (60%), Calábria (54%), Basilicata (52%).

Apenas Marcas (49%), Sardenha (44%), Molise (34%), Friuli Venezia Giulia (34%) apresentam números abaixo de 50%. "Os hospitais estão agora perto do colapso devido à falta de pessoal de saúde e ao grande número de pacientes da Covid que continuam a chegar às nossas enfermarias", explicou o presidente da Federação dos Médicos Internos (Fadoi), Dario Manfellotto, ao comentar a análise sobre a ocupação dos leitos hospitalares no momento da pandemia.

Segundo o especialista, na clínica médica os pacientes têm garantidos todos os tratamentos, mesmo os subintensivos, inclusive 'oxigenoterapia e várias formas de ventilação não invasiva, tentando evitar intubação ou morte".

"Além disso, os enfermeiros continuam a ajudar pacientes que sofrem de outras doenças importantes, como insuficiência renal, bronquite crônica, insuficiência cardíaca, sepse, pneumonia, mas as chances de acesso aos hospitais estão diminuindo para esses pacientes", finalizou Manfellotto.

A Itália vem registrando recordes consecutivos no número diário de casos do novo coronavírus. Ao todo, o país contabiliza 1.345.767 contágios e 48.569 mortes desde o início da pandemia.

Escreva seu comentário

Preencha seus dados

ou

    #ItatiaiaNasRedes

    RadioItatiaia

    Saiba por qual motivo a sua conta de luz ficará mais cara a partir de dezembro #itatiaia

    Acessar Link

    RadioItatiaia

    Ele atribuiu a decisão de parte da população de não votar à pandemia de coronavírus. #Itatiaia

    Acessar Link